Com o aproximar do Mundial da Rússia é tempo de refletirmos sobre a atualidade do futebol em Portugal.

É certo que toda a gente tem noção do que se passa com o desporto rei no nosso país e não vale a pena colocarmos vendas e negarmos a realidade.

Estamos num tal ponto de saturação, em que só pedimos para isto tudo acabar. Quando ligámos a televisão, ou abrimos um jornal, eis que saiu mais uma notícia que vai gerar controvérsia. E para que vale tudo isto? Será que os interesses de certas entidades se podem sobrepor a um desporto que leva milhões de adeptos a um estádio para apoiar a equipa do coração? Não seria tudo mais fácil se todos os clubes se focassem nas quatro linhas e não em arranjar “desculpas” para justificar erros e maus resultados?

Isto não vai acabar por aqui, ainda há muito para se jogar e enquanto houver uma preocupação desmedida pelo jogo do adversário, o futebol não voltará à sua essência.

Como se toda esta bola de neve de polémicas não fosse suficiente para manchar o futebol, avizinha-se a época das críticas à seleção, o Mundial da Rússia 2018. Desengane-se quem pensa que por termos ganho o Euro 2016, isso irá atenuar a onda de críticas que sempre esteve em torno da seleção. Isso só irá fazer, com que essas críticas sejam ainda maiores. “Então os Campeões da Europa não conseguem ganhar a esta equipa que não joga nada?” Ah, e o Ronaldo, aquele jogador que toda a gente espera que faça milagres, mas esquecem-se que é um jogador de futebol, e que ainda não foi considerando santo.

Esta semana foi idolatrado por pessoas de todo o mundo, incluindo os portugueses, que são os primeiros a desprezá-lo. Para a semana, tudo pode mudar e, num dia menos bom, lá voltam as habituais críticas.

Quando ganhámos, aparecem “adeptos” vindos sabe-se lá de onde, que nunca viram um único jogo, mas que passam por ser os maiores fanáticos pela seleção. É pena que esse apoio só seja demonstrado nas vitórias.

Falta muito para chegarmos aos calcanhares de alguns países, em termos de adeptos.

Críticas, essas vão sempre existir, mas na hora verdade estão lá, no estádio, em qualquer parte do mundo para apoiar a seleção do seu país. Falo dos brasileiros, colombianos, espanhóis que, apesar de tudo, estão lá com a cara pintada, vestidos rigor para a retribuir o esforço daqueles homens em campo, que fazem tudo pelo seu país. É impossível de descrever o que se vê nas bancadas em dia de jogos das seleções desses países, só o amor ao futebol e ao país o conseguem explicar.

É preciso uma mudança tremenda nas mentalidades, amor à pátria e, sobretudo, respeito por quem tudo faz para bem representar o nosso país.

Deixemos as criticas de lado e foquemo-nos no que realmente importante, o bom futebol.

Comentários