Muitos torcedores lembram da taça de campeão da Série B, em 2008, como um símbolo de superação, mas como não mencionar o começo de uma reestruturação pela sua maior tragédia. Em 2007 o Corinthians caia para o segundo escalão do campeonato brasileiro.

Muitos questionavam a diretoria e o elenco muito pouco criativo de 2007, mesmo assim os torcedores não deixaram de apoiar o time até o jogo da queda contra o Grêmio, no estádio Olímpico. Cautela e pés no chão, esse era o slogan da equipe que se tornaria campeã brasileira da Série B daquele ano.

Série B

Com todas contratações e renovações no elenco, a torcida corinthiana esperava um 2008 mais animador do que o ano retrasado. A queda foi um momento muito triste da história alvinegra, e muitos acreditavam que aquele ano poderia ser o da virada.

A perspectiva de um novo começo se fez positiva, e o Corinthians ganhou a Série B sem muitas dificuldades. Com um time totalmente diferente do ano anterior, o time de Mano Menezes esteve muito perto de vencer também a Copa do Brasil em 2008, acabando por perder na final para o Sport. Mas em 2009, o Timão conseguiu mesmo conquistar o referido torneio, vencendo na final o Internacional por 4 a 2.

Ronaldo, Fenômeno
Corinthians bateu o Internacional na final da Copa do Brasil 2009 e se sagrou campeão

Ronaldo

O comandante do penta era do Corinthians, mais que um ícone, Ronaldo era a chave que faltava para o ano de 2009. Muitos diziam que ele não iria vingar, torcedores do Flamengo jogaram praga contra o artilheiro, mas Ronaldo superou todas as expectativas com a camisa corinthiana.

2 títulos, uma Copa do Brasil e um Paulista em 2009, marcaram uma passagem que se não foi celebrada com mais títulos evidenciou uma nova era no clube paulista. As conquistas traziam de certa forma uma confiança a mais no torcedor, que tinha em Ronaldo não só a estrela de uma nação, mas a certeza de que o clube jamais sofreria a tristeza de 2007 de novo.

Mudar a estrutura era importante, Ronaldo é também fator fundamental nesse processo. A criação do novo CT Joaquim Grava, não teve dinheiro colocado pelo Fenômeno, mas com os patrocínios de camisa conseguidos com a chegada do craque em 2009, o Corinthians pagou uma parte da obra do Centro de Treinamento.

Muitos torcedores ainda lembram desse período como uma nova etapa na caminhada alvinegra, que se finalizaria com o título da Libertadores em 2012. Nesse elenco outro grande jogador foi também contratado: Roberto Carlos, ex-Real Madrid, mais um nome de peso que fez parte dessa reviravolta.

Tite - Corinthians
Tite treinava várias vezes a mesma jogada, cobrando sempre o posicionamento certo, marca de sua equipe.

Tite

Tite treinava várias vezes a mesma jogada, cobrando sempre o posicionamento certo, marca de sua equipe.

Planejamento, esse foi o grande papel de Tite na caminhada vitoriosa na equipe do Parque São Jorge. Muitos torcedores não acreditariam que após uma eliminação para o Tolima o treinador gaúcho levaria o clube alvinegro a conquista de um campeonato brasileiro em 2011.

Mas 2012 reservaria algo muito especial para Tite, o treinador muito elogiado e questionado levou o Corinthians ao maior feito nas américas, a conquista de uma Libertadores. Como não lembrar de Tite comemorando o gol de Paulinho no jogo contra o Vasco. No meio da Fiel, Tite viu Paulinho fazer o gol que daria a passagem as semifinais da Libertadores.

Tite festejando no meio da Fiel
No meio da Fiel Tite viu Paulinho fazer o gol que daria a passagem as semifinais da Libertadores.

O técnico não deu somente taças ao clube. Uma nova imagem surgiu então, um time vitorioso e respeitado pelos seus rivais ganhava peso de equipe espelho no cenário nacional. O Mundial só reforçou esse aspecto que já estava em evidência no clube alvinegro, que conquistava o Mundo pela segunda vez em Dezembro de 2012.

Mesmo com a saída de Tite para a seleção brasileira, o clube já não era mais o coadjuvante nas competições, esse novo clube tinha estádio novo e legado.

Esse impacto no atual momento da equipe, atual líder do campeonato brasileiro, só vem a ressaltar que um clube pode se reerguer e transformar um ciclo de incertezas, como em 2008, em um exemplo de planejamento, como aconteceu em 2012.

Comentários