Foi esta quarta-feira, dia 29 de março, batizado o aeroporto Cristiano Ronaldo. Uma cerimónia que contou com a presença do próprio CR7, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro, António Costa, bem como do Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque.

O aeroporto internacional da Madeira, inaugurado a 8 de julho de 1964, muda assim de nome e passa a chamar-se aeroporto Cristiano Ronaldo. No entanto, esta nova designação só será oficial quando for reconhecida pela Associação Internacional de Transportes Aéreos. Ou seja, quando estiver concluído o processo burocrático agora desencadeado tendo em vista a alteração de nomenclatura pretendida.

No aeroporto Cristiano Ronaldo passa a estar uma placa alusiva ao novo nome, e por baixo aparece o busto de CR7. Também lá podemos ver agora duas figuras luminosas com a face e o nome do futebolista (nas fachadas norte e sul), da autoria de um escultor da região. As referidas peças foram descerradas durante a cerimónia. Para além disso, durante 15 dias, na zona da gare, vai estar uma exposição com 60 caricaturas do atleta do Real Madrid.

Depois da estátua e do museu, CR7 tem agora também um aeroporto na Madeira com o seu nome. Não é para todos.

Cristiano Ronaldo reconhece decisão não consensual

Cristiano Ronaldo estava naturalmente orgulhoso e agradecido pela distinção: «Ser dado a este aeroporto o meu nome é algo muito especial. É sabido o orgulho que tenho nas minhas raízes, na minha terra. Acho que as homenagens devem ser feitas em vida, como é o meu caso», afirmou CR7.

O internacional português sabe que este tema não gerou consenso e não deixou de referir isso mesmo no seu discurso: «Agradeço a quem teve a coragem para defender e implementar esta ideia. Fico feliz e honrado, mas não sou hipócrita e sei que algumas pessoas não estão de acordo, algumas que até estão aqui neste momento, mas todos temos direito a expressar a nossa opinião», disse ainda Cristiano Ronaldo.

Para finalizar o seu discurso oficial, CR7 foi perentório: «Bem sei da responsabilidade que me cabe. Tentarei dignificar Portugal e em especial a Madeira, com dedicação, espírito de sacrifício e paixão, como sempre fiz até agora».

Marcelo Rebelo de Sousa: «Escolha arriscada, corajosa e excecional»

O Presidente da Nação, no seu discurso oficial durante a cerimónia, destacou ser esta uma escolha arriscada, corajosa e excecional: «Esta escolha foi arriscada e por isso corajosa. É uma escolha excecional para uma personalidade excecional que temos a certeza que nunca nos desiludirá», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

Comentários