O ano de 2016 foi, sem sombra de dúvidas, um ano atípico para o torcedor alvinegro carioca. Com um time recém-chegado da Série B, sem grandes reforços, com uma folha salarial muito abaixo de seus adversários e um elenco com um nível técnico e tático inferior, o Botafogo não dava ao torcedor nenhuma expectativa real de sucesso naquela temporada e os próprios botafoguenses sabiam da grande possibilidade de um novo rebaixamento no Campeonato Brasileiro e da remota chance de se conquistar algum título no ano.

Quando o Campeonato Carioca de 2016 começou, o torcedor teve uma boa surpresa: o time jogou de igual para igual nos clássicos transmitindo confiança à torcida. Essa mesma confiança era posta em cheque quando o time enfrentava equipes consideradas “pequenas”, pois tinha certa dificuldade evencia com placares apertados. Ainda assim, o time de General Severiano conseguiu terminar em primeiro de seu grupo na primeira fase. Na segunda fase do torneio, já com os quatro grandes reunidos no mesmo grupo, o Botafogo ficou em terceiro, avançando às semi-finais. Venceu o duelo contra o fluminense e chegou à final contra um Vasco recém-rebaixado e que também surpreendia naquele ano. No fim, o Vasco ficou com o caneco, mas o vice não abalou a torcida alvinegra, visto que, ninguém esperava um título naquele ano.

Após a eliminação nas oitavas-de-final da Copa do Brasil diante do Cruzeiro, só restou ao alvinegro focar no Brasileirão. O Botafogo não começou nada bem aquele campeonato. Com derrotas em casa para o Sâo Paulo na estreia e para o cruzeiro, derrota no “clássico vovô” para o Fluminense, goleada para o Santos, derrota para o Corinthians e empates em casa contra times cotados para brigar contra o rebaixamento como Vitória e Figueirense, o time da estrela solitária chegou à estar na lanterna por duas rodadas, deixando o torcedor apreensivo. Com um primeiro turno muito irregular, o alvinegro terminava na metade de baixo da tabela, fazendo jus ao nível do elenco e às expectativas em torno da campanha do time.

Ainda no primeiro turno o Botafogo conseguiu surpreender em alguns momentos, como na vitória sobre o Internacional no Beira-rio, na vitória em casa contra o Palmeiras, que se tornaria o Campeão do torneio e na vitória, também em casa, contra o Grêmio, que se tornaria campeão da Copa do Brasil. Como em um passe de mágica, mostrando que realmente há coisas que só acontecem com o Botafogo, o time emplacou três vitórias seguidas e abriu o segundo turno vencendo o São Paulo em pleno Morumbi e goleando o Sport em casa. Fazendo uma das melhores campanhas do segundo turno, o Glorioso conseguiu vitórias importantes contra Cruzeiro e Vitória fora de casa, além de derrotar um dos favoritos, Atlético Mineiro, e ainda vencer o clássico contra o Fluminense.

Naquele momento nem o torcedor mais fanático poderia acreditar naquela reação histórica que levava o time que outrora brigava contra o descenso a brigar por uma vaga na Libertadores para a próxima temporada. Entre as rodadas 27 e 34, o time conseguiu uma sequência de cinco vitórias consecutivas e sete jogos de invencibilidade, dentre eles o clássico contra o Flamengo que terminou empatado. Como de praxe, com o Botafogo tem que ser com emoção. Derrotas para Chapecoense em casa e para o Palmeiras em São Paulo, além do empate contra a Ponte Preta no Rio, deixaram o torcedor sem unhas, cabelos e, certamente, com problemas cardíacos muito graves. A classificação para a Libertadores teve que vir na última rodada, fora de casa, contra o Grêmio, adversário que o Botafogo sempre teve dificuldades de vencer jogando no Sul. Uma vitória por placar mínimo, um quinto lugar na tabela que ninguém imaginava e uma vaga para a competição de clubes mais importante do Continente.

Como manda o figurino, o Glorioso cumpriu seu papel de “azarão” e fez uma temporada muito acima do esperado. Não conquistou títulos, mas a campanha feita no Campeonato Brasileiro valia um troféu. Mesmo com desfalques importantes ao longo da temporada, como o goleiro Jefferson, o Botafogo conseguiu surpreender a todos. Esse é o Botafogo. Quando não se cria expectativas ele vai lá e mostra porque é um gigante do futebol.

Comentários