O começo deste ano para o Corinthians foi idêntico ao que o time teve nas últimas temporadas. A saída de jogadores que tinham a confiança da torcida e a chegada de atletas questionados fez a equipe ser taxada como a quarta força do futebol de São Paulo. No entanto, o comprometimento do elenco e o bom trabalho da comissão técnica levaram o clube ao título do Campeonato Paulista e à liderança inesperada do Brasileirão.

Passando por cima do favoritismo de seus principais rivais, o Timão conseguiu algo que poucos fizeram até o momento: aliar o bom trabalho defensivo – a equipe tem hoje a zaga menos vazada do torneio nacional, com apenas cinco gols sofridos – à manutenção da posse da bola e objetividade na hora de agredir seus adversários. O time conta com o segundo melhor ataque da competição com 19 tentos, número inferior apenas ao do vice-líder Grêmio.

Com um aproveitamento de quase 88%, os paulistas somam 29 dos 33 pontos possíveis até a 11ª rodada. Desde o início da era dos pontos corridos no campeonato Brasileiro, no ano de 2003, nenhum clube teve tantas vitórias nas 11 primeiras partidas e uma vantagem tão grande para o segundo colocado: atualmente, sete pontos separam o Timão do Tricolor gaúcho.

Com isso, os números já fazem o time entrar para a história e empolgam o torcedor, que coloca o clube como o principal candidato ao título. O campeonato, porém, ainda está no início e a oscilação é normal no decorrer da competição. Assim, o Timão precisa se apegar a exemplos de quem em algum momento não conseguiu se manter no topo da tabela para somar o máximo de pontos possíveis e acumular ‘gordura’ para o momento em que as vitórias deixarem de ser tão constantes.

Trabalho do técnico Fábio Carille

Um fator que colaborou com a ascensão da equipe foi a efetivação de Fábio Carille. Depois de passar oito anos na comissão técnica do Corinthians, ele enfim teve a oportunidade de assumir o time principal e mostrar do que era capaz. Tido como discípulo de Tite, o treinador não teve a aprovação dos corintianos logo em seus primeiros dias no cargo, mas aos poucos foi ganhando o respeito das arquibancadas e de seu novo grupo de trabalho.

Apesar de um início conturbado, o comandante olhou primeiro para o vestiário, já que com a união do elenco poderia mostrar suas ideias de futebol para os jogadores. Assim, Carille passou a trabalhar seu sistema defensivo: apostando na forte compactação da equipe, o técnico deu consistência ao elenco, que, mesmo sem um futebol convincente, alcançava suas primeiras vitórias na atual jornada.

Mesmo com o bom trabalho no campo de defesa, o treinador ainda precisava melhorar seu ataque. Ainda que ocupe o posto de artilheiro da nova arena, o paraguaio Ángel Romero não tinha todo apoio que precisava e, além disso, o centroavante Jô e o meia Jadson estavam recuperando a melhor forma física para ajudar dentro de campo. Assim, com o passar das semanas, Carille montou um time sólido, que sonha com mais uma conquista em 2017.

Comentários