Fonte: Record.pt

Depois dos empates conseguidos este domingo na segunda mão das meias finais do play-off do Campeonato de Portugal, Farense e Mafra estarão de volta à Segunda Liga Portuguesa na próxima temporada. Ambas as equipas tinham sido despromovidas ao Campeonato de Portugal em 2015/2016, pelo que serão agora novamente companheiras na subida ao escalão profissional. Dia 10 de junho, às 17 horas, discutirão entre si o título de campeão da prova em pleno Estádio do Jamor.

Algarvios disseram “não” à complacência

Em Vila Franca de Xira, o Farense gozava de alguma tranquilidade conferida pela vantagem de três golos trazida da primeira mão, vantagem essa que deixava o Vilafranquense com uma difícil missão pela frente. Com o avançar do relógio, a equipa da casa foi sacudindo a pressão de estar por baixo na eliminatória e assumiu as rédeas da partida. O guardião Miguel Carvalho, contudo, não deixou que o assalto ao seu reduto se traduzisse em golos para o adversário.

A vinte minutos do fim, qualquer dúvida que restasse ainda em relação ao desfecho da eliminatória esfumou-se com o golo do Farense. Nuno Borges concluiu uma jogada de contra-ataque executada a um ritmo alucinante com um cruzamento/remate que traiu o guarda-redes Carlos Fernandes. Até ao final, o capitão da formação lisboeta David Moura ainda empatou o encontro na marcação de uma grande penalidade, mas o destino estava traçado: o Farense sobe à Segunda Liga, enquanto que o Vilafranquense permanece no Campeonato de Portugal.

Mafra
Mafra vence Vilaverdense por 2-4

Golo em terra forasteira abriu caminho ao Mafra

Tal como o Vilafranquense-Farense, também o Leiria-Mafra terminou com um empate a uma bola que teve sabor a vitória para os visitantes. O nulo da primeira mão deixava tudo em aberto para o embate no Estádio Dr. Magalhães Pessoa e a partida deste domingo jogou-se sob a mesma toada da anterior: algum nervosismo e, sobretudo, muito equilíbrio, que se traduziu numa primeira parte sem golos.

No segundo tempo, impulsionada pela notável presença de mais de 14 mil adeptos nas bancadas, a formação da casa passou para a frente no marcador e na eliminatória. Da marca dos 11 metros, João Vieira ainda permitiu a defesa ao guardião mafrense João Godinho, mas, na recarga, cabeceou para o fundo das redes e colocou o Leiria em vantagem. Contudo, aos 73’, tudo voltou a mudar: na sequência de um canto, o defesa Hugo Ventosa subiu à área contrária e selou o 1-1 final, que deu o bilhete ao Mafra para a final do Jamor e para a II Liga graças à vantagem por golos fora. Já o histórico Leiria, continuará a disputar o Campeonato de Portugal na próxima época.

Comentários
Artigo anteriorO regresso ao campeonato da felicidade
Próximo artigoEntrevista exclusiva a Ricardo Pessoa!
José Rocha
Nasci na ilha Terceira, Açores, em 1993. Assim que atingi idade para tal, inscrevi-me nas escolinhas de um dos clubes locais, o Angrense. A habilidade para praticar futebol, contudo, não era proporcional à paixão que tinha pelo desporto-rei, pelo que não fui longe enquanto jogador. Posto isto, troquei as chuteiras pela caneta e continuei a procurar saber cada vez mais acerca desta modalidade, que tantos sentimentos desperta por esse mundo fora. Licenciado em Ciências da Comunicação na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, passei pelo jornal O Jogo, onde pude continuar a desenvolver as minhas capacidades como jornalista desportivo. Neste espaço, onde os universos do futebol e da escrita se fundem, pretendo abordar temas da atualidade desportiva, bem como "desenterrar" antigas memórias e partilhá-las convosco.