A final da Liga dos Campeões deste ano vai ser realizada em Kiev, Ucrânia.

A Liga dos Campeões já habituou todos os adeptos do desporto rei a resultados totalmente inesperados e a reviravoltas que ficarão registadas nos livros dourados da competição. Esta temporada não foi diferente, com surpresas que apenas alguns dos mais fiéis adeptos e/ou apostadores poderiam prever, ou até mesmo acreditar. Logo na primeira mão, o já anunciado campeão inglês Manchester City, visitou o terreno do lendário Liverpool. Anfield recebeu os citizens de Guardiola da maneira que melhor sabe e, com uns claros 3-0, a eliminatória ficou bem encaminhada para os reds.

O eterno campeão alemão Bayern Munique foi até Sevilha, onde conseguiu um 1-2, após os da casa se terem colocado na frente do marcador e dois autogolos da equipa espanhola. Depois, dois duelos entre espanhóis e italianos. O Bicampeão europeu Real Madrid deslocou-se a Turim, derrotando a Juventus por 0-3, com Cristiano Ronaldo em evidência, apontando 2 tentos. Os adeptos italianos presentes no estádio levantaram-se para aplaudir o 5 vezes Bola de Ouro, após um pontapé de bicicleta que deixou apenas Buffon pregado ao chão. Já o Barcelona recebeu e venceu a Roma por uns claros 4-1.

Vistos estes resultados, dificilmente alguém apontaria outros quatro candidatos à presença nas meias-finais que não Liverpool, Bayern, Real e Barcelona. Mas, como referido no título do artigo, estes quartos de final vão ficar na história da competição.

Liverpool e Roma eliminam favoritos City e Barcelona, respetivamente

Primeiro o City. Com um início de jogo estonteante, Gabriel Jesus abriu o ativo ao segundo minuto e deu ainda mais esperança aos adeptos da casa, que lotaram o Ethiad Stadium. Mas os comandados de Klopp aguentaram-se bem e com golos de Salah (que época fantástica!) e Firmino, carimbaram o primeiro passaporte.

Mas, de terras romanas, tinha chegado a primeira surpresa. Dzeko, que já havia marcado em Espanha, abriu o marcador aos seis minutos. Um penálti convertido pelo capitão De Rossi aos 58’ deixou o estádio Olímpico de Roma em euforia. 2-0 no marcador e mais de 32 minutos pela frente. Os catalães estavam em noite não, Messi não mostrava sinais de vida. “Via-se grega” a equipa blaugrana, mais ainda quando Kostas Manolas desviou um canto para dentro das redes do alemão Ter Stegen. Estava feita a remontada. Até ao final, um forcing enorme do Barça não foi suficiente para retirar aos romanos a noite mágica a que se tinham proposto. Uma sobrevivência digna de gladiores, com o Imperador Totti a assistir a tudo bem de perto.

Juventus ficou perto de remontada histórica sobre o Real Madrid
Lance decisivo do jogo entre Real Madrid e Juventus, que culminou com a expulsão de Buffon

Juventus muito perto de remontada histórica

No dia seguinte, a Vecchia Signora entrou no Santiago Bernabéu decidida a tentar repetir o feito dos rivais de Roma e logo ao segundo minuto colocou-se na frente do marcador, através de Mandzukic. O croata voltou a marcar aos 37 minutos e Matuidi empatou a eliminatória, fazendo o 3-0 aos 60 minutos. A equipa merengue deixava escapar a confortável vantagem conquistada em terras transalpinas. Os adeptos temiam que mais uma surpresa tivesse para acontecer.

Mas quem tem Ronaldo, arrisca-se sempre a marcar e, mais uma vez assim foi. Estava decorrido o segundo minuto de período de compensação quando, após um passe de cabeça do português para o centro da grande área dos italianos, Lucas Vasquez foi carregado pelas costas. O árbitro Felix Brych apontou para a marca dos 11 metros num lance muito contestado por todos os jogadores da Juventus. Buffon, numa noite carregada de excelentes intervenções, “decidiu” despedir-se das noites europeias da pior maneira possível, com uma expulsão de vermelho direto, após protestos. Szczesny saltou do banco, ainda adivinhou o lado, mas o remate de Cristiano Ronaldo tinha selo de golo. 97 minutos e o Bernabéu explodia de alegria.

O resultado final foi 1-3, mas os merengues não se livraram do susto. De referir ainda o cumprimento emotivo entre Buffon e Cristiano Ronaldo, já na zona mista.

Por sua vez, o Bayern recebeu o Sevilha, com um aviso prévio daquilo que os espanhóis eram capazes de fazer. Depois de eliminar o Manchester United de José Mourinho, em pleno Old Trafford, os comandados de Montella não conseguiram replicar o excelente futebol da primeira mão. Um jogo que terminou num 0-0, sem grande história para contar, e alemães em frente na prova.

Assim sendo, Real Madrid, Liverpool, Roma e Bayern Munique garantiram um lugar entre as quatro melhores equipas da Europa. Já os tubarões Barcelona, Manchester City e Juventus, além do surpreendente Sevilha, ficaram pelo caminho.

O sorteio das meias-finais ditou uma final antecipada entre Bayern e Real, enquanto que um dos “outsiders” da ronda anterior, Roma ou Liverpool, chegará à grande final, a ser disputada a 26 de Maio, no Olímpico de Kiev, na Ucrânia. Os jogos das meias finais serão disputados entre os dias 24/25 de Abril e 1/2 de Maio.

Comentários