Como todo ano no Brasil, as equipes planejam o começo da Libertadores acreditando chegar no mínimo nas oitavas de final da Libertadores. Muito dinheiro investido, jogadores badalados e muita expectativa para mais uma conquista, e quem sabe no fim do ano a tão sonhada disputa pelo título mundial.

Mas o que está acontecendo com as equipes brasileiras na Libertadores não é algo para se comemorar. Desde 2013 uma equipe brasileira não chega em uma final do torneio. Esse dado mostra que o planejamento vem sendo mal feito por diversos fatores.

As equipes perdem por seu próprio ego, a arrogância dos times do Brasil já vem quando sai o chaveamento, e a maioria já se coloca como favorita. Isso é tão presente nos dias atuais, que as análises feitas em cima dos elencos por grandes emissoras de TV, já os classificam como os melhores de cada grupo, variando só para clubes de menos tradição no país, caso da Chapecoense nessa edição.

Revér segurando a taça da Libertadores 2013

Mesmo o Atlético Mineiro, último campeão brasileiro da Libertadores, sofreu muito para ganhar o título em 2013. A equipe precisou de seguidos milagres do goleiro Victor e um poder de reação do time, para chegar na final do torneio.

E mesmo com a conquista, o Atlético não conseguiu se quer chegar na final do Mundial Interclubes. A equipe perdeu para o Raja Casablanca pelo placar de três a um, na casa do adversário, no Marrocos.

Tolima, o algoz do Corinthians na Libertadores de 2011

Não é pelo resultado, mas a eliminação do Corinthians para o Tolima foi algo muito exposto pela mídia, naquela época, para mostrar a fragilidade emocional dos times brasileiros. Primeiro se vende a imagem de que o clube vai passear os dois jogos contra o time pequeno, e na hora que o time perde, se tenta achar um culpado, e lá se vai todo planejamento do ano.

Mostrar 2011, é apresentar o outro lado dessa visão, acrescentando fatores que mostram a recuperação pós eliminação e o título como representação final de um ciclo. Sim, o Corinthians perdeu a Libertadores, mas não perdeu o ano, a equipe se reergueu de uma eliminação e alguns meses depois foi campeã.

Um ano depois e todos sabemos o resultado da continuidade desse projeto, Corinthians campeão da Libertadores 2012. Apresentar isso prova também que o próprio Atlético pode ter usado essa visão de projeto, para sua conquista um anos depois.

Lugano segurando a taça da Libertadores 2005, conquista tricolor sobre o Atlético Paranaense

O último título indiscutível da Libertadores por um clube brasileiro foi em 2005 com o São Paulo. Não só pela forma que o clube paulista ganhou, mas pela maneira como o time se comportou nas partidas, sempre muito superior aos adversários.

O mundial só veio para coroar um trabalho perfeito. A conquista mostrava que o Brasil poderia usar aquela equipe como espelho para as futuras gerações, e que o São Paulo viria a ser o grande time a ser batido na Libertadores por um bom tempo.

Nenhum dos fatores aconteceu, tanto que daquele ano de 2005 até hoje, só mais três equipes brasileiras ganharam a Libertadores. Mais surpreendente é ver hoje, Internacional na Série B e São Paulo lutando para não cair, times que a pouco tempo atrás eram a referência de clube no país.

Comentários
COMPARTILHAR
Artigo anteriorCopa 2018 sem Argentina?
Próximo artigoUm Click na Copa
Victor Gabriel

Estudante de jornalismo na Universidade Nove de Julho, 23 anos, torcedor e amante de futebol nacional e internacional. Falar sobre esporte é uma coisa que eu sempre tive vontade, tentando mostrar a importância de uma boa administração dos clubes e trazendo novidades sobre esse esporte que todos amamos, o futebol.
Como admirador do futebol, meus ídolos sempre honraram a camisa 10, símbolo maior deste esporte. Estádio sempre lotado e torcida gritando, esse é o verdadeiro modelo de futebol ideal em qualquer país. Não vi Pelé jogar, nem Zico, mas assisti Cristiano Ronaldo e Messi, a maior rivalidade dentro do esporte.