Paços de Ferreira derrotado pelo Famalicão
Fonte: RTP

À terceira jornada da Ledman LigaPro, eis que surge o primeiro líder isolado da prova: o Benfica B. A formação secundária das águias foi, de entre o quinteto que terminou a segunda ronda com seis pontos, a única equipa a obter uma vitória, tendo deitado por terra um adversário direto – o Mafra. Paços de Ferreira e Estoril sofreram desaires caseiros e o Farense cedeu um empate na receção ao Sp. Braga B.

No Caixa Futebol Campus, no duelo entre dois dos líderes da tabela, o Benfica B mostrou-se superior ao Mafra, que só ameaçou a baliza de Zoblin na última meia hora de jogo. Até aí, as águias iam criando perigo através das iniciativas de João Filipe e Chris Willock, tendo o único golo da partida surgido numa dessas ocasiões: numa recarga a um remate de Jota, o inglês fez o 1-0 e colocou o Benfica B no topo da classificação.

As derrotas de Estoril e Paços de Ferreira foram as maiores surpresas da jornada e, curiosamente, registaram particularidades semelhantes: ambas as equipas perderam a jogar em casa e pelo mesmo resultado – 2-1.

No António Coimbra da Mota, os canarinhos sofreram logo aos 17′, por intermédio de Luís Silva, num lance precedido de posição irregular. O goleador Roberto igualou aos 27′, mas, já nos descontos, o recém-entrado Pedro Henrique deu ao Leixões os primeiros três pontos da época. Já na Capital do Móvel, quem brilhou foi o famalicense Fabrício Simões, autor de um bis ainda no primeiro tempo. Coube a Luís Phellype reduzir aos 41′, respondendo ao cruzamento de Bruno Teles. O Paços de Ferreira vê, assim, o Famalicão igualar os seis pontos dos castores na tabela.

O Farense, quinto elemento da liderança partilhada à entrada para esta jornada, empatou em casa com o Sp. Braga B, que conquistou o primeiro ponto em 2018/19. Apesar da inatividade do marcador, não faltaram ocasiões de golo durante o encontro, com os guardiões de ambos os lados a terem uma tarde de muito trabalho.

O embate entre Académica e V. Guimarães B também deu em nulo. Os vimaranenses, que amealharam pontos pela primeira vez, tiveram mais posse de bola, mas nenhuma das formações conseguiu criar grandes oportunidades para marcar. Nota para o facto dos estudantes terem sido novamente obrigados a mudar de guarda-redes no decorrer do jogo – aos 42′, Júlio Neiva entrou para o lugar do lesionado Ricardo Moura.

UD Oliveirense e Cova da Piedade proporcionaram o terceiro empate da ronda, desta feita com um golo para cada lado. Assistido por Miguel Rosa, Hugo Firmino colocou a equipa de Almada em vantagem logo aos 5′ de jogo. Contudo, aos 24′, Filipe Gonçalves isolou o guineense Ença Fati, que fez o 1-1 final.

O Penafiel estreou-se a pontuar nesta edição da Liga de Honra, tendo recebido e vencido o FC Porto B por duas bolas a zero. Vasco Braga e o inevitável Pires fizeram os golos dos durienses. Para os dragões, este terceiro desaire consecutivo significa o afundar na tabela classificativa. Os comandados de Rui Barros estão em último lugar com um registo precário: zero pontos, um golo marcado e nove sofridos (pior defesa do campeonato).

Numa partida equilibrada em que as oportunidades de golo foram uma constante, o Varzim derrotou o Sp. Covilhã por 3-1. Na Póvoa, num lance algo fortuito, Stanley colocou os visitados em vantagem logo aos 15′. Os serranos procuraram prontamente restabelecer a igualdade, o que se viria a suceder no início do segundo tempo, por Deivison. No entanto, os poveiros deram uma resposta contundente, com o recém-entrado Jonathan e Ruan Teles a fecharem o marcador.

Por último, AC Viseu e Arouca proporcionaram o embate mais épico da jornada. A tarde de calor intenso presenciada no Estádio do Fontelo deu fôlego aos visitantes, que construíram uma vantagem sólida de dois golos na primeira parte, por intermédio de Toni Gomes e Bukia. Manuel Cajuda deu um murro na mesa, lançando ao intervalo Gabriel Pereira e o reforço Luisinho, que viriam a ter uma influência-chave na partida. O primeiro, com um centro-remate venenoso, “obrigou” o compatriota Deyvison a desviar para a própria baliza aos 59′. O segundo, assistiu por duas vezes o ganês N’Sor, que consumou assim a reviravolta e deu aos viseenses a vice-liderança do campeonato.

N'sor ao serviço do AC Viseu
N’sor é o melhor marcador da Segunda Liga com quatro tiros certeiros

Destaques da Jornada

Melhor Equipa – AC Viseu: Sair para o intervalo a perder em casa por 2-0 tira o ímpeto à mais motivada das equipas. Porém, os viseenses, muito graças ao “dedo” de Manuel Cajuda, deram uma resposta avassaladora no segundo tempo, marcando três golos que desfeitearam as ilusões do Arouca. Com este resultado, os viriatos alcançaram o segundo lugar com sete pontos, os mesmos do Farense.

Equipa Desilusão – Paços de Ferreira: Os castores são vistos como o principal candidato à promoção, fruto do plantel com elevada experiência de Primeira Liga e de terem ao leme o “mestre das subidas” Vítor Oliveira. No entanto, apesar dos triunfos nas duas primeiras jornadas, a equipa caiu aos pés do Famalicão em plena Capital do Móvel, numa partida onde abusou do jogo direto e em que a defesa se mostrou complacente.

Onze da Jornada: José Costa (Penafiel); Bruno Teles (Paços de Ferreira), Francisco Ferreira (Benfica B), Edmond Tapsoba (V. Guimarães B) e Gabriel Pereira (AC Viseu); Luisinho (AC Viseu), Luís Silva (Leixões), Vasco Braga (Penafiel) e Chris Willock (Benfica B); Kwame N’Sor (AC Viseu) e Fabrício Simões (Famalicão).

Melhor Jogador – Kwame N’Sor (AC Viseu): Três jogos, quatro golos. É este o saldo do ganês nesta edição da Liga de Honra, ele que tinha marcado oito em 20 partidas na temporada passada. Ainda para mais, foi o segundo bis consecutivo de N´Sor, num início de época que deixa água na boca. A parceria com Luisinho, que reforçou os viseenses na semana passada, já começa a carburar, tendo o extremo luso assistido por duas vezes o africano na “remontada” diante do Arouca.

Jogador Desilusão – Hugo Almeida: Aquando da apresentação como reforço da Briosa, o internacional A referiu que tinha optado pela Académica por razões familiares, apesar de ter tido propostas da Primeira Liga. Contudo, volvidas três jornadas, Hugo Almeida tarda em ganhar o lugar nos estudantes e não parece ter a plena confiança do técnico Carlos Pinto. Depois de não ter saído no banco frente à Oliveirense, entrou no decorrer da segunda parte nas duas últimas jornadas, sendo que, frente ao Paços de Ferreira, até foi o escolhido para ocupar a baliza após a expulsão de Peçanha.

Jogador Revelação – Pedro Henrique (Leixões): Volvidos somente três minutos desde que entrara em campo, o avançado brasileiro desferiu, aos 90+2′, o golpe fatal com que o Leixões deitou por terra o Estoril na Amoreira. Depois de já ter entrado durante o segundo tempo na jornada anterior, o reforço, de 21 anos, ameaça conquistar a titularidade a Evandro Brandão, que, em 449 minutos de utilização, ainda não encontrou o caminho para o fundo das redes adversárias.

Comentários